terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Diário de bordo - Fase II

30/11, 15h30: O que não são os símbolos. Na terra onde os cristãos oram por proteção contra bala perdida, o contraste se instala. O Rio de Janeiro é uma terra linda! Paisagens maravilhosas, ar limpo, beleza inconfundível. Aqui o tempo parece que pára para dar lugar à diversão e ao descanso. Fim do dia, pôr-do-sol, caminhada no calçadão, liberdade e tranqüilidade.

No entanto, aos arredores da Cidade Maravilhosa, as favelas se instalam, formando um cenário de caos. E o engraçado é que elas representam o caos social que o Rio vive. Caos estrutural, educacional, espiritual. As casas amontoadas refletem a desorganização moral. O pior é que não é só da sociedade marginal. O restolho atinge as igrejas e a fé.

Numa terra tão bonita, tão livre, a prisão se faz necessária: tanto para o agressor quanto para o agredido. Liberdade cerceada pelo declínio moral e da humanização. Fico feliz, porém, que até aqui, a oração tem sido ouvida e tenho sido guardada até da bala perdida.

30/11, 20h: Ah! Que legal é poder ser reconhecido por realizar um bom trabalho. Visitei a Agência NAcional de Saúde Suplementar (ANS), uma das minhas fontes mais importantes, até por ser um órgão oficial. E como foi legal ver a expectativa das pessoas em me conhecer. Quando a gente fala com elas por tanto tempo e só por telefone, dar rosto às vozes se torna emocionante.

E louvo a Deus pelo cuidado e por ter me honrado como o fez hoje. Humildemente agradeço, Senhor, pela capacitação, pelo esforço reconhecido. Ouvir de uma gerente do governo "seu trablaho é referência, leitura obrigatória", é extremamente recompensador. Posso dizer que este foi um dia de ser celebridade!!!! Obrigada Jesus!

01/12, 8h30: Ok, não vou negar que estou receosa, mas vai ser legal visitar Teresópolis de novo. O clima no Rio de Janeiro ficou totalmente nublado esta semana e não está diferente na estrada para Terê. As montanhas estão cobertas pela neblina e tudo indica que este será um dia frio.

11h: Chegamos rapidinho em Terê. estamos esperando o Antonio nos buscar. Vim com a pra. Nilzete. Ela foi um anjo de Deus pra mim nesta viagem. Estou aprendendo muito com ela. A idéia é irmos à CBF, tirar foto.Nenhuma de nós se interessa por futebol, mas vai lá. Vir a Terê e não ir na "Casa" do esporte nacional é covardia. Bom, o Tony chegou, estava morrendo de saudade. Coisa boa é termos amigos que permanecem apesar das distâncias, não é?

17h: Que delícia de dia! Estamos na praça...X. Não sei o nome da praça. Mas duas igrejas se reuniram para fazer um evangelismo. Muito legal. O mais legal é que é uma praça católica! E o padre liberou o espaço pra eles. Glória a Deus! Muitos jovens ao redor. Esse grupo está fazendo um trabalho circense. O rapaz corre de bicicleta, enquanto o outro cospe fogo. Muito interessante. A multidão ao redor está curtindo, mesmo que esteja começando a chover. Ah...que dia agradável.

20h: Estamos entrando no ônibus agora para voltar pro Rio. A neblina que estava nas montanhas desceu até a cidade! Tão bonito! Mas tb tão frio!!!! Comemos muita coisa boa, conversamos bastante, conheci nossa igreja (Igreja de Cristo) em Terê, reencontrei velhos amigos e aquele "amigo" em especial que eu estava receosa em encontrar, graças a Deus não apareceu. Obrigada, Jesus, por me guardar. depois que chegarmos ao Rio ainda temos de pegar outro ônibus para ir pra Jacarepagua. COmo dizem os irmãos cariocas, "que Deus nos livre de todo homem mau e da bala perdida" e que este motorista seja experiente o suficiente para dirigir com tanta neblina!

02/12, 15h30: O culto pela manhã, na Igreja Metodista Livre, foi inspirador. Engraçado.....foi possível ver como o compromisso do povo reflete no cuidado com o templo. Esta igreja está se reerguendo e assim está o templo deles. Está sendo reestruturado. Ainda têm muito para melhorar. Mas quem não tem????

Depois de tanta preocupação (fico pensando que tipo de cristã eu sou. Orei tanto para Deus ajudar com a viagem de hoje e nem consegui dormir direito pensando no que fazer...humpf), Deus abriu as portas graciosamente. eu, que não sabia como ir para o aeroporto, consegui carona com o pastor da metodista, que ia pegar o mesmo vôo que eu! Ganhei almoço e acesso à internet pra comprar minha passagem. Ê Deus bom!

18h30: Ok. Minha viagem de vinda começou com alguns contratempos, não poderia não terminar do mesmo jeito. Meu vôo das 15h30 foi cancelado. Manutenção na aeronave. O livramento? Três pessoas próximas de mim disseram que Deus revelou que havia laço de morte naquele vôo. Acredita? Deus guardando as nossas vidas!!!!!

Agora, saímos do Galeão e estamos no Santos Dumont para pegar outro vôo para Congonhas. A idéias é que nossas malas já estejam lá quando chegarmos. Conhecemos esta sra., Fátima, no aeroporto. Super pra cima, ela está divertindo nosso dia complicado. Deus nos guarde até São Paulo.