sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Quinta

Um dia atrapalhado e displicente. Uma letargia desigual me acometeu nesta quinta. Apenas uma idéia me fez despertar das profundezas do estado sonolento: comemorar meu aniversário na virada do dia.

Daí, toca a ver a opinião da família, a lista de comes e bebes, os convidados, o convite. Me debrucei sobre o lap top (isso é possível? Enfim...) e, depois de uma hora, um ppt TOP SECRET foi enviado aos agentes da minha alegria neste ano.

Depois, visita ao supermercado. O que comprar, como comprar, quanto gastar, onde estava a lista? Na mão da minha sobrinha, que foi a grande responsável para que tudo desse certo no final. Pena que ela mesma não pudesse ficar para a festa.

Voltar pra casa, enfrentar o caos do quarto, da cozinha, preparar a área externa, encher 300 balões, um a um, no bico. Eu, mamãe e Cinthia. Guerreiras. Elas nos criou assim.

No meio tempo, ainda tinha entrevista a fazer, compromissos a cumprir, matérias a se estudar. O livro, eu abri por 15 minutos, só para terminar uma bateria de exercícios. A entrevista, 20 minutos resolveram. A matéria....bem o texto está semi-pronto, faltando dois parágrafos que vou terminar, assim que fechar este post.

23h35. Os convidados começaram a chegar e a família, junto aos amigos, completou o quadro perfeito das 3h seguintes, quando todos ríamos, cantávamos o tradicional "parabéns pra você" a cada cinco minutos, até que alguém resolveu cortar o bolo. Meia-noite. O MEU dia está apenas começando....