quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Diário de bordo 2009

Já pensei que eu deveria manter um “diário de bordo” com uma periodicidade diária: desde o ano passado eu tenho viajado muito, pelo menos uma vez por mês. Meus amigos, que graças a Deus são amigos de verdade e tem toda paciência comigo, quando me ligam já perguntam se eu estou na cidade. Minha resposta é sempre acompanhada de uma risadinha, quase sem-graça. Mas é verdade: quando menos se espera, lá vou eu pegar a Estrada – ou, no caso, os ares!

Não reclamo e nem acho ruim. Eu me canso, é verdade. Mas viajar é tão bom! Conhecer lugares diferentes, ver gente diferente, ir aos locais que só vemos pela televisão, descobrir nossos próprios destinos. Tudo isso é entusiástico!

Minha última viagem, no ano passado, foi para São Paulo, em novembro. A trabalho, como sempre. Depois fui a Anápolis (GO), para passar o Natal com a família. Fiquei uma semana a mais para curtir meu irmão e meus primos. Até porque, comecei o ano viajando!
Dia 02 de janeiro me aventurei, por trajetos rodoviários, a viajar para Foz do Iguaçu. Foram 25 h de viagem, com dor na coluna e um moleque chutando meu banco e falando sem parar. Foi difícil, mas interessante. Li um livro inteiro durante o trajeto. Aliás, metalinguístico: “Viaje sozinha”. Recomendo para moças e rapazes que queiram se aventurar a mochilar por qualquer lugar do mundo!

Ao contrário do que se esperava, eu estava de férias, mas não fui a Foz a passeio. Fui aproveitar o tempo para fazer um curso de imersão em ingles. Mas você pode dizer “no Brasil?”. É. Os professores vieram do país de Gales e da Escócia/Irlanda. Então, pense. Se no Brasil já achamos interessante os diferentes sotaques imagine professores com accents diferentes, ensinando uma língua que vc não domina! Mas tudo bem, foi muito divertido.

A melhor parte do curso, que se chama “Speak for Jesus”, foram os amigos que fizemos. Gente do país todo participou do evento. Tinham pastores, aspirantes a missinários, empresários, enfermeiras, estudantes, comerciantes....de tudo um pouco. Mas, apesar da diversidade regional e profissional, parecia como se nos conhecêssemos a vida toda!

E graças a esta facilidade na convivência, tivemos um curso maravilhoso! Passeamos pelo Paraguai, fizemos mil compras, fomos às cataratas do Iguaçu – tanto do lado brasileiro quanto argentino – e ficamos deslumbrados com a beleza do lugar! Passamos calor juntos, agradecemos pela chuva juntos, fizemos picnic, rimos demais dos mil nomes que deram à Mariana (os professores não conseguiam dizer o nome dela corretamente), choramos com os videos missionários e com o filme “A walk to remember”. 

Nosso amigo-secreto não só foi divertido, como tivemos a oportunidade de nos expressarmos favoravelmente uns aos outros. Além disso, a festa de despedida foi regada a shawarma e muito H2OH!!!!

Um curso de imersão fabuloso! Não te parece? O que ganhamos com tudo isso além de um tempo bom? Os amigos que permanecem.

Estou agora, a caminho de São Paulo, onde devo ter uma reunião com um dos fundadores da entidade em que estou trabalhando. Mas sabe quem vai me hospedar? A Mariana. A mesma que os professores não conseguiam falar o nome! Daqui vou a Curitiba, trabalhar e encontrar uma amiga de um outro curso que fiz há dois anos. Depois, sigo para Porto alegre, para a terceira e última entrevista e, lá, devo encontrar meu amigo Alfred, que esteve em Foz conosco. 

Viu? As férias podem ser mais do que só tempo para descanso. As viagens de trabalho podem ser mais do que só responsabilidade. Tudo isso pode ser agregado a boas amizades. Que perduram e se ajudam, quando menos se espera! E que alegria será revê-los e...opa! Agora preciso ir, que já estão me chamando para o embarque!

Hasta la bye-bye!