sexta-feira, 5 de setembro de 2008

You (all of you) are the grace of my life!

Madrugada a dentro e eu pensando na vida. Há um silêncio na casa, que só é interrompido pelo som dos meus dedos no teclado. Ainda há muito o que escrever. Ainda há muitas análises a fazer. Ainda há muito para se ponderar.

O sono vem chegando lentamente. Como um algoz pronto a me torturar com horas de descanso e sonhos infrutíferos. E rio da minha constatação. 

Tem chá quente na garrafa esperando que eu dê um gole. E a luz do abajour parece convidativa para mais uma reflexão. Amigos, amigos....poucos minutos de conversa e muitos risos depois, me descubro apaixonada pela presença de tais companheiros.

Não é possível fugir das obrigações e do martírio dos dias noticiosos. Mas esses momentos, tão preciosos, valem por toda a vida. 

Ao redor daquela mesa, qualquer assunto é válido. Desde a bobeira mais insólita até a informação mais séria. E, mesmo assim, uma palavra ambígüa é suficiente para nos fazer voltar a gargalhar.

Enquanto tudo ao meu redor está envolto em silêncio, na minha mente o barulho é constante: é som de dia bom, de descanso de olhos abertos, de mensagens nas entrelinhas de um sorriso, de carinho pela amiga que ficará fora, de saudade das poucas horas de distância, de segredos que guardamos uns dos outros e que fazem de nós a melhor das irmandades!